COMPARTILHAR

12358249_976212962439085_166003423_nSe a gente pensar em retrospectiva iríamos relembrar pontos positivos e outros nem tanto. Lembro-me que já falei sobre essa nossa cidade que gosto de viver, do povo dessa terra e de tantas oportunidades que aqui temos. Nesses meus 50 aninhos – corpinho de 25 – eu aprendi inúmeras coisas, dentre elas, a ouvir as pessoas, apesar de muitos, ainda pensarem ‘horrores’ da minha pessoa. Não me importo e sigo vivendo. Percebo que muitos também vivem a reclamar, xingar, discordar e fica por isso mesmo. A parte mais importante, que seria achar a solução para a reclamação, simplesmente não é levada a sério. Os ‘tidos’ como contrários da cidade, só reclamam, ultrajam, denunciam, blasfemam, insultam e todos acabam virando um bando de maria-vai-com-as-outras. Com essa onda de Facebook, é só você colocar “uma coisinha” que muitos copiam e viram a sensação da rede social. E o que ganhamos com isso? Nada. Nada ganhamos, pois uma sociedade de rabo preso não pode ser uma sociedade de protesto. Uns gatos pingados até se mobilizam em algumas questões, mas não dão continuidade e acabam esquecidos e sem moral alguma – tem iniciativa mas não tem “acabativa”. Os textos e matérias aqui do Portal Notícias de Itaúna estão repletos de comentários de protesto, apenas palavras, e vagas ações. Palavras se pulverizam, ações se concretizam. Aqui em Itaúna quem é bom, não presta, e isso me deixa com a pulga atrás da orelha. Se o empresário cresce e gera empregos, ele tá roubando, se a “moça” da política quer ser eleita, ela usou meios ilícitos, se o jornalista publica uma manchete, ele usurpou a ‘fonte’, se a dona da loja abriu uma outra loja, ela é muambeira, se o jovem prospera, é porque nasceu com a “buzanfa” pra lua, se o viado é prestigiado, ele cometeu peculato, se isso, se aquilo, e a cidade engatinha na língua de meros desocupados. Já li um comentário de um rapaz que escreveu: “O Debique defeca pela boca”, e eu concordo com ele, pois sem hipocrisias mútuas, nos tornaríamos intoleráveis uns para os outros. Ou seja, o funkeiro que critica a música do Latino é farinha do mesmo saco. O que temos que compreender é que cada um é cada um, e viva a individualidade democrática dessa terra de Sant`Ana. Espero que com o tempo, a gente possa perceber o quanto somos pessoas bacanas para o meio em que vivemos. Seja bom para seu filho, sua turma, seus amigos e esqueça quem você sequer sabe o nome. Vamos adquirir uma postura mais sensata, vamos ser úteis, primeiro para nós mesmos, e depois para quem de fato interessar. Para que falar do Reitor se você nem sabe pronunciar o nome dele? Pra que alvejar a moça, se você sequer sabe manusear sua língua? Pra que ir contra o vereador, se ele foi o mais votado na comunidade dele? Pra que crucificar o empresário, só pelo fato dele saber que você não é flor que se cheire? Cá entre nós, você sabe o seu valor, e é isso que de fato é relevante, o resto é apenas balela que não te acresce em nada. Esse texto é um exemplo nítido de babaquice desnecessária, mas eu insisto em dizer que Itaúna é próspera, é linda e sua gente é maravilhosa. Feliz 2016.

COMPARTILHAR

MÁRIO DEBIQUE é graduado em Comunicação Social pelo Instituto J Andrade, atua na área da comunicação há 17 anos. Na Rádio Alternativa FM, tem programa de apelo popular que é líder de audiência no horário. É Liderança Comunitária há mais de 10 anos, Promotor de Eventos e Professor de Língua Portuguesa na rede estadual de ensino. Mário Debique é atualmente Assessor de Comunicação do SAAE e já trabalhou no Gabinete do Prefeito Eugênio Pinto e em outras gestões com o Ex Prefeito Hidelbrando Canabrava (04 anos) e o Ex Prefeito Osmando Pereira da Silva (por 08 anos). Na Câmara Municipal de Itaúna trabalhou no Cargo de Assessor de Comunicação nas gestões do Ex Presidente e vereador Orlando Rodrigues e Antônio de Miranda. Articulista político, popular e com um jeito novo de conciliar e trabalhar. Mário Debique é considerado polêmico e tem um jeito pessoal de fazer críticas e elogios, por isso, integra a Equipe NOTÍCIAS de Itaúna.