COMPARTILHAR

cruzeiro2-300x300Robinho, Lucas Lima, Diego. Os nomes que a torcida do Cruzeiro sonha para reforçar o time para o restante da temporada são muitos. No entanto, quando o assunto é contratações, Vanderlei Luxemburgo pede calma. O treinador acredita que o clube vive um momento delicado, de reformulação, e esta reposição deve ser feita com paciência. Após a derrota para a Chapecoense, no Mineirão, por 1 a 0, neste domingo, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, as cobranças se intensificara em cima do presidente Gilvan de Pinho Tavares. Todavia, o mandatário não deu novidades sobre o assunto.

 

 

Vanderlei Luxemburgo utiliza o discurso de valorizar o elenco do Cruzeiro. Nas entrelinhas, deixa claro que nota que o time precisa ser fortalecido, mas prefere enaltecer os valores que tem na Toca da Raposa. O treinador explica que em partidas nas quais o adversário joga retrancado, como foi o caso da Chape, jogadores criativos, como Alisson e Gabriel Xavier, podem ser muito úteis.

 
– O time estava muito desfalcado. Temos jogadores que poderiam entrar e mudar o jogo. O Gabriel (Xavier) dá uma rabiscada.

 

O Alisson faz falta, ele também dá uma rabiscada. Em um jogo fechado, você tem que ter jogadores como esses, que dão um drible, que enxerguem uma metida de bola. Isso é um fato. Quando você vai propor o jogo, você precisa de jogadores para isso.

 

 

Gabriel Xavier e Alisson se recuperam de lesões musculares. Apesar dos trabalhos intensos na recuperação, o retorno de ambos não deve acontecer antes de duas semanas. Ou seja, é possível que eles continuem como desfalques contra o Coritiba, no próximo domingo, e diante do Grêmio, na quarta-feira seguinte.

 
Com o resultado diante da Chapecoense, o Cruzeiro deu uma freada na ascensão que apresentava na tabela de classificação. A derrota surpreendente deixou a equipe na décima primeira posição, com 10 pontos. Entre o céu e o inferno, a Raposa está a três pontos da zona de rebaixamento e a quatro dos times que se classificam para a Libertadores.

 
As vaias no Mineirão são reflexo de uma impaciência precoce do torcedor. É o que acredita Luxemburgo. Para o treinador, a diretoria tem que seguir à procura de peças para reforçar o time, independentemente das críticas dos torcedores.

 
– Existe uma impaciência no futebol brasileiro com tudo. Com técnico, jogador, derrota. Está se massificando que, após uma derrota, você não tem o campeonato inteiro, depois, para se recuperar. Perdeu, tem que sair o técnico. É uma impaciência muito grande. Como tenho experiência, sei que as críticas vão ser feitas, e que as coisas devem ser feitas independente delas.

 

 

Do time campeão brasileiro, poucos são aqueles que permaneceram no elenco. Luxemburgo explica que a instabilidade é natural para todo time que está em reformulação.

 
– O Cruzeiro é o bicampeão brasileiro, mas o time fez uma mudança. A mudança, a reformulação, ela causa uma instabilidade momentânea. O Cruzeiro foi vencedor e teve a necessidade de vender, agora tem que ter calma para fazer a reposição. Não é porque a torcida está cobrando.

 
O Cruzeiro se reapresenta nesta terça-feira e terá a semana inteira para trabalhar para o jogo contra o Coxa, no Couto Pereira, em Curitiba, domingo, às 16h (de Brasília).

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.