COMPARTILHAR

O passado não determinará quem vencerá o confronto entre Corinthians e Cruzeiro, nesta quarta-feira, às 21h45, no Itaquerão, porém pode servir de inspiração. Do lado da Raposa, a missão é de repetir feitos de alguns anos atrás e conquistar os três pontos diante de um adversário invicto e líder do Campeonato Brasileiro.

Uma memória não tão distante é um dos exemplos para o Cruzeiro. Há seis anos, o clube celeste desafiava o bom começo do Timão na Série A. Pela 11ª rodada, os paulistas apareciam na primeira colocação, com 26 pontos (oito vitórias e dois empates), enquanto os mineiros estavam em oitavo, com 15 (cinco vitórias, três empates e três derrotas). No dia 24 de julho de 2011, as equipes mediram forças no Pacaembu, e o Cruzeiro venceu por 1 a 0. O gol foi marcado pelo atacante Wallyson, num belíssimo chute de fora da área. A bola arrematada de pouco à frente do meio-campo encobriu o goleiro Renan. Uma pintura.

Outro duelo, que ocorreu há mais tempo, também traz boas lembranças. No Brasileiro de 1998, o Corinthians já não estava invicto quando recebeu o Cruzeiro em 24 de setembro, mas ocupava a liderança isolada da competição, com 32 pontos (10 vitórias, dois empates e uma derrota). O time estrelado, por sua vez, figurava em 15º (de 24 clubes), com 15 pontos – três vitórias, seis empates e quatro derrotas.

O Timão – de Marcelinho Carioca, Edílson, Rincón e Gamarra – era praticamente imbatível em seus domínios. Mas o Cruzeiro, que também tinha um grande elenco – Valdo, Muller, Fábio Júnior, Alex Alves, entre outros –, almejava a recuperação no Brasileiro. Fábio Júnior, aos 11min, abriu a contagem para a Raposa. Rincón, aos 17min do segundo tempo, empatou para o Corinthians. E Valdo, em cobrança de pênalti, recolocou os cruzeirenses em vantagem: 2 a 1.

O curioso é que o Corinthians, apesar das derrotas, também tira recordações favoráveis desses duelos, pois se sagrou campeão brasileiro tanto em 1998 (justamente ao bater o Cruzeiro na decisão) quanto em 2011.

Em 2017, a equipe do técnico Fábio Carille conquistou o Campeonato Paulista, avançou à segunda fase da Copa Sul-Americana, classificou-se para as quartas de final da Copa do Brasil e está invicta no Brasileirão – cinco vitórias e um empate. Já o Cruzeiro até ensaiou bom começo de temporada, mas perdeu a final do Campeonato Mineiro para o Atlético e foi eliminado pelo Nacional-PAR na primeira fase da Sula.

A queda de rendimento proporcionou cobranças constantes da torcida ao trabalho de Mano Menezes, mas o treinador ganhou alento com a vitória do último domingo sobre o Atlético-GO por 2 a 0, no Mineirão. Os próprios jogadores, outrora preocupados com o desempenho do time, já encabeçam discurso de confiança para enfrentar o Corinthians.

“A vitória traz confiança depois de duas derrotas. Existia essa pressão fora de campo, da torcida. Sabíamos que teríamos que vencer. E conseguimos isso do jeito que eles gostam, com futebol para frente, buscando o gol o tempo todo”, declarou o lateral-esquerdo Diogo Barbosa. “Espero que a partida de quarta-feira seja boa. São duas equipes de qualidade, e tenho certeza que o Mano vai conversar com cada um de nós e vai armar nossa equipe para buscar a vitória fora de casa”, acrescentou o zagueiro Murilo.

De modo geral, Cruzeiro e Corinthians se enfrentaram 80 vezes, com 26 vitórias celestes, 19 empates e 35 triunfos paulistas. Os últimos dois jogos (ambos no Mineirão) terminaram com resultado positivo para a Raposa: 4 a 2, no dia 19 de outubro de 2016, pelas quartas de final da Copa do Brasil; e 3 a 2, em 11 de dezembro, pela última rodada da Série A.

VIASuperesportes
COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.