COMPARTILHAR

Janeiro Amarelo - Giovana CarvalhoJaneiro é mês de prevenção contra a doença em Mateus Leme

A informação será a principal arma da Secretaria de Saúde de Mateus Leme para orientar a população sobre os principais sintomas da hanseníase, indicar os métodos mais eficazes de prevenir a doença e apresentar os tratamentos oferecidos gratuitamente na rede pública de saúde. Durante o mês de janeiro, período escolhido para a realização da campanha “Janeiro Amarelo – Mês Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase”, todas as unidades de saúde do município vão realizar abordagens educativas aos usuários dos PSF e das unidades de apoio à saúde.

O objetivo da conscientização é alertar. No bairro Imperatriz (foto), um cartaz chama a atenção dos pacientes na entrada da unidade. Além do mural, enfermeiros estão sendo capacitados para realizar abordagens aos usuários enquanto eles aguardam por atendimento médico e odontológico. “Vamos envolver cada paciente de maneira individual, conversando e orientando sobre as formas de prevenção e os sintomas característicos da hanseníase”, explicou a enfermeira-chefe da UBS Gentil Cunha, Giovana Carvalho.

 

Em Serra Azul, o PSF promove na segunda-feira (26) uma palestra educativa no Salão Vicentino do distrito, que fica na praça São José. O tema proposto para o diálogo com a população será aos cuidados e sintomas da hanseníase, explica a coordenadora da unidade Fernanda Becalli. “Vamos promover a informação e mostrar para a população as maneiras mais comuns de contágio da doença, como ela se manifesta no corpo e como identificar os sintomas”, adiantou Fernanda. A palestra começa às 13h30. A entrada é de graça e toda a população é convidada à participar.

 

Na sede da Secretaria de Saúde de Mateus Leme também há um mural contendo informações sobre a doença.

A doença

A hanseníase é causada por uma microbactérias chamada bacilo de Hansen. A transmissão acontece pelas vias respiratórias, através da respiração, da fala, do espirro ou da tosse e, algumas vezes, por meio de contato com ferimentos na pele do doente. “No entanto, para que o contágio do bacilo ocorra, é necessário um contato íntimo e prolongado com uma pessoa doente e não tratada”, explicam os profissionais da saúde.

A doença começa com uma ou mais manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, em qualquer parte do corpo. Também pode apresentar nódulos e áreas de intumescimento na face e orelha, além de câimbras e formigamentos. “Clinicamente, a hanseníase pode se manifestar de diversas formas. Inicialmente, caracteriza-se pelo aparecimento de uma ou mais manchas pelo corpo, geralmente mais claras que a cor da pele, sem pelos, mais ressecada e com perda de sensibilidade”, completam.

 
O tratamento da Hanseníase começa a partir do diagnóstico da doença, expedido por médicos das unidades de saúde. Em Mateus Leme, a referência para o tratamento da hanseníase é o Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.