COMPARTILHAR

bannerTopo-300x300O acesso à água como direito humano vai pautar a palestra magna do relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU), Léo Heller, que abre a etapa final do Seminário Águas de Minas III: Os desafios da crise hídrica e a construção da sustentabilidade, nesta terça-feira (29/9/15), a partir das 18h30, no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).
O mineiro Léo Heller assumiu o cargo de relator especial do Direito Humano à Água e ao Esgotamento Sanitário da ONU no fim de 2014. O professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisador da Fiocruz explica que o enfrentamento da crise e a adoção de medidas para tornar a gestão dos recursos hídricos mais eficiente e inclusiva passam pela estabilidade das políticas públicas e pela revisão de parâmetros conceituais.

 

 

Para ele, esses direitos ainda não foram amplamente incorporados na prática, sendo, muitas vezes, negligenciados. Heller defende que o acesso à água potável não deveria depender de qualquer condição, sobretudo financeira. “Quando se passa a tratar a água como um direito essencial do ser humano, torna-se inadmissível que o seu fornecimento seja interrompido por falta de pagamento”, exemplifica.

 

 

O posicionamento vai ao encontro da resolução aprovada em Assembleia Geral da ONU, em 2010. De acordo com o documento, 884 milhões de pessoas no mundo não têm acesso a fontes confiáveis de água potável e mais de 2,6 bilhões não dispõem de instalações sanitárias básicas. O Brasil e outros 121 países votaram a favor da resolução, comprometendo-se a universalizar o acesso a esses direitos indispensáveis à vida.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.