COMPARTILHAR
Usina Solar do Mineirao - Parceria entre Secopa e Cemig. Credito: Renato Cobucci/Imprensa MG Data: 16-05-2013 Local: Estadio Mineirao
Usina Solar do Mineirao – Parceria entre Secopa e Cemig.
Credito: Renato Cobucci/Imprensa MG
Data: 16-05-2013
Local: Estadio Mineirao

A usina solar fotovoltaica instalada pela Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, vai fazer história novamente nas Olimpíadas de 2016. Em 2014, o Mineirão se tornou o primeiro estádio com certificação LEED Platinum de sustentabilidade a utilizar energia solar em uma partida da maior competição de futebol do planeta e, agora, é a primeira arena esportiva dotada de painéis solares em sua cobertura a ser confirmada para as Olimpíadas de 2016.

 

 

A FIFA anunciou o calendário do futebol nas Olimpíadas Rio 2016 e, com ele, a confirmação de que Belo Horizonte sediará dez partidas do torneio olímpico de futebol. O primeiro jogo no Mineirão está marcado para as 19 horas de 3 de agosto do ano que vem.

 

 

No entanto, existem apenas duas possibilidades para que o Brasil jogue em solo mineiro. A equipe feminina poderá jogar no Mineirão as quartas de final, caso se classifique em primeiro lugar na primeira fase. Já o time masculino só atua em BH se participar da disputa pela medalha de bronze.

 

 

 

Segundo o engenheiro de tecnologia Bruno Marciano, da Cemig, as Olimpíadas de 2016 são mais uma oportunidade de divulgação do estágio de inovação da empresa: em 2014, ele recebeu relatos de que a Usina do Mineirão teve destaque na mídia alemã durante a Copa. Nas Olimpíadas, mais uma vez o empreendimento levará a mensagem da energia limpa para os milhões de espectadores das Olimpíadas em todo o mundo, além da marca da Cemig e um pouco sobre nosso Estado.

 

 

 

USF Mineirão
A Usina Solar Fotovoltaica (USF) do Mineirão, construída pela Cemig em 2014, em parceria com a Minas Arena e o banco alemão KfW, é a maior do mundo na cobertura de um estádio e tem capacidade para atender 1.200 residências.

 

 

 

A cobertura do Mineirão de cerca de 9.500m2 recebeu cerca de 6 mil módulos fotovoltaicos em sua cobertura garantindo uma potência instalada de 1.420 KWp (megawatts-pico) e toda energia gerada é enviada para a rede de distribuição da Cemig, sendo utilizada para abastecer parcialmente o estádio e os consumidores de Belo Horizonte.

 

 

 

Como funciona
Os módulos solares fotovoltaicos na cobertura do estádio captam a radiação solar e convertem em energia elétrica, em corrente contínua com tensão de 380 volts. Inversores instalados em oito salas técnicas abaixo das arquibancadas transformam a corrente contínua em corrente alternada. A energia é enviada a duas subestações, uma no lado sul e outro no lado norte do Mineirão. Nas subestações, a tensão é elevada para média tensão.

 
O “Gigante da Pampulha”, como o Mineirão é conhecido, recebe de volta cerca de 10% da energia produzida pela Usina Solar Fotovoltaica. Outra pequena parte é usada na manutenção da própria usina. Todo o restante é injetado na rede da Cemig, por meio da subestação de conexão que fica dentro do estádio.

 

 

 

Os investimentos na USF foram de aproximadamente R$ 10 milhões, sendo que 80% desse valor foi financiado pelo banco alemão KfW, por meio de cooperação técnica Brasil-Alemanha.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.