COMPARTILHAR

ALMGAfirmação foi feita por secretário de Estado durante debate sobre reestruturação do Ipsemg, que continua até sexta (27).

 

 

Com um déficit previdenciário em 2015 de R$ 12,8 bilhões, o secretário de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Helvécio Miranda Magalhães Júnior, classificou como dramática a situação da previdência no Estado. Ele foi um dos participantes do Fórum Técnico 103 anos do Ipsemg: Reorganização e Valorização, que teve início nesta quinta-feira (26/11/15), no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

 

 

A reestruturação do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), passando pela sua maior autonomia financeira e administrativa e pela garantia do atendimento de saúde aos seus beneficiários em todo o Estado foram alguns dos pontos abordados durante o primeiro dia dos debates sobre o assunto, que continua na tarde desta quinta e se estende até sexta-feira (27).

 

 

Na abertura dos trabalhos, o deputado Rogério Correia (PT), autor do requerimento para a realização do fórum, lembrou que o evento busca homenagear o instituto pelos seus 103 anos, além de discutir a reestruturação e fortalecimento do Ipsemg, que ficou, segundo ele, sucateado nos últimos 12 anos. Ainda de acordo com o parlamentar, além de debater a atual situação do instituto, serão pensadas propostas para o futuro. “A ideia é sair daqui com um documento para o governo”, afirmou.

 

 

 

Rogério Correia, representando o presidente Adalclever Lopes (PMDB), disse que o debate é fundamental para avaliar a situação do Ipsemg, ouvir propostas e buscar alternativas para a sua necessária reformulação. O deputado Professor Neivaldo (PT) também participou dos debates e se disse um defensor do instituto.

 

 

O presidente do Ipsemg, Hugo Vocurca Teixeira, salientou que o momento é uma oportunidade de refletir o quanto o instituto avançou e permaneceu sólido, salvando vidas e prestando um serviço de qualidade, apesar das dificuldades. Segundo ele, a homenagem também deve ser feita olhando para o futuro, para que o Ipsemg seja cada vez mais uma instituição que acolha com qualidade seus beneficiários, que, segundo ele, chegam atualmente a 852 mil pessoas.

 

 

 

Ainda durante a fase de abertura, a presidente do Sindicato dos Servidores do Ipsemg (Sisipsemg), Maria Abadia de Souza, cobrou autonomia administrativa e financeira para o Instituto, como forma de garantir a sua dignidade. Ela lembrou que é fundamental e imprescindível a reestruturação do Ipsemg, a ampliação dos seus serviços e a valorização dos servidores. Além disso, ela disse que a comemoração dos 103 anos do Ipsemg, momento considerado histórico por ela, não aconteceria sem a valorosa contribuição dos seus servidores.

 

 

 

Na mesma linha, o presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas do Ipsemg, José Pereira Souza, que recordou a históra do instituto, disse que hoje os seus contribuintes encontram-se à deriva.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.