COMPARTILHAR

IMG_2932Secretaria de Educação e Cultura oferece transporte escolar às crianças que foram transferidas para escolas da Barragem e da área urbana

 
Visando evitar que os alunos da Comunidade Rural de Serrinha de Freitas frequentassem uma única turma com todos os anos de escolaridade, a Secretaria de Educação, em conjunto com a Associação Comunitária e moradores, decidiu transferir as crianças que frequentavam a escola local para a cidade. A decisão pelo fechamento da Escola Municipal José Gomes de Freitas e transferência dos alunos para a cidade foi tomada após reuniões da Secretaria de Educação e Cultura, associação comunitária e moradores do local constatarem que o baixo número de alunos na escola poderia prejudicar a aprendizagem das crianças.

 

 
O ano letivo de 2014 terminou com sete alunos e para 2015 apenas cinco alunos se inscreveram. De acordo com a Secretária de Educação e Cultura, Maria Virgínia Morais Garcia, a expectativa era de que cerca de mais doze matrículas seriam realizadas neste ano, mas não aconteceu. Com o número baixo de crianças haveria uma única turma, a sala teria que ser multisseriada, da pré-escola ao 5º Ano, assim alunos de idades e níveis educacionais diferentes seriam instruídos pelo mesmo professor, o que prejudicaria a aprendizagem: “Ficamos muito preocupados, explicamos para os pais e eles concordaram que os alunos não teriam um ensino de qualidade”, explicou Virgínia.

 

 
Como a qualidade do ensino é prioridade, a Semec encaminhou os alunos para a Escola Municipal João Luiz de Sousa, comunidade da Barragem e para a Escola Estadual Manoel da Costa Rezende, no bairro Várzea da Olaria. A mudança foi feita com todo o suporte, os alunos são buscados na comunidade e entregues nas escolas todos os dias com o transporte escolar oferecido pela Secretaria de Educação: “A comunidade não perdeu o espaço físico que pode ser usado para reuniões, missas, celebrações. Os atendimentos do posto de saúde passarão a serem feitos no local, o que traz mais conforto a todos. Quero agradecer a compreensão dos moradores de Serrinha dos Freitas que nos ouviram, entenderam e buscaram o melhor para seus filhos”, finalizou Virgínia.

 

 
Escolas de Pedras e Brejo Alegre

 

 
De acordo com a Secretária de Educação e Cultura, Maria Virgínia Morais Garcia, a situação da Escola Dolores Nogueira Penido, da Comunidade de São José De Pedras, e a Escola Eduardo Gomes, da Comunidade de Brejo Alegre, é bem diferente: “Nas duas escolas temos um número suficiente de alunos, por isso elas não precisam ser fechadas. Em Pedras, por exemplo, temos 45 alunos, e em Brejo Alegre temos 33 crianças. Dá para funcionar dessa forma, mas se a comunidade nos procurar para fazer a junção, estamos aqui para fazer o melhor por eles. No caso o município não tem e não teria prejuízo, porque na escola do Brejo funciona o primeiro, segundo e terceiro ano, e a de Pedras funciona o quarto e quinto ano, além da pré-escola. Então o custo seria o mesmo, pois seriam os mesmos professores”, esclareceu Maria Virgínia Morais Garcia.

COMPARTILHAR

Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.