COMPARTILHAR

DSCN1175Manchete foi publicada depois que comunicado com informações corretas foi enviado à imprensa

 

 

Mais uma vez a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Itaúna cumpre a obrigação de informar ao público sobre notícias erradas publicadas no jornal Spasso. Desta vez os profissionais do semanário não podem nem mesmo alegar falta de conhecimento pois receberam, antes da publicação, a informação correta. Trata-se da manchete do dia 03/10 que afirma que a referência ao Governo Federal teria sido apagada de placa de obra no Aterro Sanitário. Todas as informações aqui corrigidas já haviam sido encaminhadas ao jornal e amplamente divulgadas para toda a imprensa e nas redes sociais antes de publicarem o que publicaram.

 

 

Os erros são muitos:
A placa em questão não está na entrada do Centro Municipal de Triagem de Resíduos (que eles chamam de galpão da coopert) e sim na entrada do aterro sanitário.

 
A pintura sobre as logomarcas do Governo Federal aconteceu bem antes da inauguração do Centro Municipal de Resíduos e não às vésperas deste acontecimento.

 
A pintura sobre as logomarcas aconteceu atendendo à LEI ELEITORAL 9504/97 que obriga que todas as insígnias de governos (no caso em questão estaduais e federais) sejam apagadas ou cobertas três meses antes do pleito eleitoral. No ano passado houve eleição para Presidente e para governador e portanto, ATENDENDO À LEI, a prefeitura de Itaúna cobriu quaisquer referências ao governo federal (do PT, reeleito) e ao governo estadual (na época do mesmo partido do prefeito, o PSDB.

 

Reiterando, que também foi apagada). A retirada destas logos aconteceu, por determinação legal, até o dia 5 de julho de 2014.
Como foram apagadas tanto logos de um partido quanto de outro a má-fé descrita na matéria está acontecendo é por parte do jornal Spasso que ao invés de noticiar o importante feito que a inauguração do Centro Municipal de Triagem de Resíduos representa para Itaúna e para o meio ambiente de forma imparcial e sem ressentimentos como seria esperado de um órgão de imprensa se apega a mentiras que já haviam sido esclarecidas para tentar diminuir e distorcer o fato.

 
A data da obra não foi alterada. Trata-se de placa colocada em 2013 pela empresa contratada para a execução dos serviços e como manda a Lei a placa foi afixada no início do período. Não podemos responder pela não colocação da informação em período anterior ao do início desta gestão. Se tivessem colocado a placa informativa a mesma estaria lá. Não houve substituição de placa.

 
O Governo Federal não foi excluído da inauguração, pelo contrário, estava representado pelo senhor Marcelo Bomfim, Superintendente Regional da Caixa Econômica Federal, gestora dos recursos aplicados pelo Governo. Em sua fala, o Sr. Marcelo Bomfim salientou o valor aplicado pelo Governo Federal – R$370 mil – e pela Prefeitura de Itaúna – R$500 mil.
A matéria do jornal cita, no último parágrafo, a justificativa para as mudanças, reconhecendo que recebeu a informação correta. E coloca uma questão que poderia ter sido facilmente respondida caso tivessem buscado transmitir informação e não opinião. Disseram que a prefeitura não explicou (ninguém perguntou) o motivo de a placa permanecer com a logo coberta por tinta. Disseram que ligaram para o Ministério das Cidades para saber a resposta e não foram atendidos. Tivessem ligado para a Prefeitura e teriam a resposta: a responsabilidade pela confecção das placas de obras são das empresas contratadas para a execução das obras. Assim como a placa do Aterro continua com a logo do Governo Federal apagada, as placas espalhadas na Rodovia MG-050 também continuam com a logo do Governo Estadual apagadas. Entretanto, todas as referências obrigatórias por lei, como valor da obra, empresa contratada, CNPJ e outros constam da placa que tem por objetivo informar dados técnicos e não fazer propaganda partidária.

 

 

O Centro Municipal de Triagem de Resíduos, teve seu início em 2009, na administração anterior. A projeção era de um espaço de cerca de 600 metros quadrados, seguindo o projeto federal. Como já nasceu subavaliado, em 2013 foi realizada uma readequação, ampliando o espaço do Centro, construído com cerca de 1.200 metros quadrados.

 
A obra foi construída com recursos do Governo Federal (R$370 mil) e do Município de Itaúna (mais de R$500 mil). O Centro deve começar a funcionar, a pleno vapor, no prazo de 45 dias, já que são necessárias algumas adequações dos equipamentos da Coopert.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.