COMPARTILHAR

631630Projeto de Lei para instalação de empresa pioneira na área ambiental foi encaminhado à Câmara e depende de aprovação dos vereadores para começar a funcionar

 

 
Uma nova empresa deve se instalar em Itaúna aumentando a expertise da cidade em gestão de resíduos sólidos. Trata-se de empresa que fará a decomposição termomagnética de resíduos sólidos industriais e de saúde dos grupos A, B, D e E. Atualmente a Prefeitura de Itaúna paga para que estes resíduos de saúde, que não podem ser reciclados, sejam tratados em outras cidades. Com a instalação da empresa em Itaúna o tratamento para os resíduos do Hospital Manoel Gonçalves será feito por um período de 10 anos sem nenhum custo para o município ou para a Casa de Caridade. O benefício será uma compensação para a concessão de direito de uso de uma área localizada ao lado do Aterro Sanitário de Itaúna.

 

 

 

Trabalhando com tecnologia avançada, os resíduos do processo de decomposição termomagnética poderão ser reutilizadas em processos de produção de cerâmica, pré-moldados e outros, ou encaminhados para aterros sanitários. O processo de decomposição gera volume reduzido de gases, compostos principalmente de vapor de água com baixo odor e de acordo com os níveis aceitáveis pelos órgãos ambientais reguladores, não gerando nenhum passivo ambiental, com volume final da decomposição em torno de 5% do volume inicial dos resíduos.

 

 

 

Mais empregos, mais desenvolvimento

Com a instalação da empresa em Itaúna, além do beneficiamento gratuito por um período de 10 anos dos resíduos do Hospital Manoel Gonçalves (pelos quais a Prefeitura atualmente paga um valor mensal em torno de R$4mil) o município se beneficiará com a geração de emprego e renda, atração de outras indústrias ou aproveitamento pelas indústrias da região do material disponibilizado pela empresa, recolhimento de impostos aos cofres públicos municipais gerando mais recursos para Itaúna.

 

 

 

Apesar de inovadora, a tecnologia utilizada pela empresa já existe no mercado, com uma unidade desse aparelho em operação em Belo Horizonte, licenciado pela SUPRAM.

 

 

 

Para se instalar na cidade a empresa deverá obedecer a todas as normas de proteção ambiental vigentes como Licenciamento Prévio (LP), Licenciamento de Instalação (LI) e Licenciamento Operacional (LO). É importante salientar que o tratamento especial de resíduos de saúde é essencial para evitar quais riscos à saúde pública e ao meio ambiente.

 

 

 

O projeto de Lei autorizando a concessão de direito de uso do terreno público foi encaminhado à Câmara Municipal e assim que for aprovado pelos vereadores a empresa terá um prazo máximo de 18 meses para iniciar as atividades em Itaúna.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.