COMPARTILHAR

murundu“Murundu” pretende encantar público e mostrar a importância do meio ambiente no cotidiano

 

 

Meio ambiente e a relação do homem frente a natureza, essas são temáticas que fazem parte do espetáculo “Murundu”, que será apresentado no Espaço Cultural no domingo, 1º de maio, às 19h. A cidade é a quarta do Estado a receber a turnê, que trata de uma reflexão, com foco direcionado ao clima, ao tempo e ao consumo no mundo, e como estes três tópicos são assuntos rotineiros e cotidianos de qualquer ser humano vivente.

 

 

Com uma linguagem contemporânea, a peça aborda a questão do ser humano como mais um no planeta, mas faz isso de maneira poética, usando objetos decodificados de suas funções básicas para criar um ambiente de paisagens inusitadas. O espetáculo foi criado para quatro bailarinos/performers e é definido por Marisa e Dudude como uma obra aberta, já que está em constante exercício de apropriação de descobertas.

 

 

Na etimologia, “Murundu” significa pequeno monte, mas na peça a palavra é apropriada como também um monte de coisas, das mais variadas juntas, emaranhadas, disformes, misturadas e potentes. “Murundu é tudo! Pode ser os bichos, as coisas, cada um vai ter uma leitura sobre isso, mas foi o meio ambiente a nossa principal fonte de inspiração para a criação do espetáculo”, contou Marisa Monadjemi, diretora artística do espetáculo. A coreógrafa Dudude já havia colaborado com outros trabalhos da Meia Ponta Cia de Dança, na concepção de “Poética das Nuvens” (1992) e “Brevidade” (1999), o último comemorou o cem anos da cidade de Belo Horizonte. “Murundu” marca o reencontro de Dudude com a companhia, que tem por hábito e desejo trabalhar com diversos coreógrafos e propor obras que envolvam o público adulto e infantil, o que rendeu a companhia vários prêmios e convites para se apresentar no Brasil e exterior.

 

 

Sobre a Companhia de dança

 

 

Criada há quase 27 anos por Marisa Monadjemi, a Meia Ponta Cia. de Dança é reconhecida no cenário cultural nacional por desenvolver uma linguagem própria na dança contemporânea e por valorizar o trabalho de pesquisa, fomentando o intercâmbio entre os diversos campos das artes. No total, já se somam 11 espetáculos montados – Entre Amigos (1989), Wa’Ya Festa Xavante (1991), Poética das Nuvens (1992), Majunm (1994), Brevidade (1999), Entre o Silêncio e a Palavra (2003), Coisa de Dentro e Do Contrário Assim Seria o Mesmo (2005) e Murundu (2012), e infantis.

 

 

Informações sobre preços e venda de ingressos pelo telefone: 37-3243-6425.

COMPARTILHAR

Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.