COMPARTILHAR

Representantes entidades socioassistenciaisObjetivo é reunir o máximo de entidades nas abordagens sociais e oferta de serviços sociais do município a pessoas em situação de rua e migrantes

 

 

Os migrantes e pessoas em situação de rua constituem uma população presente em todos os municípios do país, em Itaúna a situação não é diferente. Para lidar com essa questão, o município conta com uma ampla rede socioassistencial, com vários serviços oferecidos pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social/ Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, em parceria com entidades filantrópicas.

 

 

Para tratar da questão, reuniu-se na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social, no dia 25 de abril, a rede socioassistencial do município com a representante dos consultórios de rua de Belo Horizonte, Ana Paula Leão, com o propósito de criar em Itaúna uma equipe para Ação Conjunta Itinerante (ACI), para intensificar as abordagens e oferta de serviços a pessoas em situação de rua e migrantes, na tentativa de criar vínculos com esses indivíduos, possibilitando uma efetivação nas ações.

 

 

“Reafirmamos nosso compromisso institucional de orientar, informar e encaminhar as pessoas em situação de rua à rede socioassistencial do município, desde que as mesmas se interessem pelos serviços disponíveis”, comentou o Gerente do CREAS, Jailson Guimarães.

 

 

Decreto: 7.053/09 – Política Nacional para a População em Situação de Rua

 

 

É importante ressaltar que o Decreto Presidencial 7.053/2009, que Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua, preconiza que ninguém pode ser retirado da rua à força. De acordo com o referido decreto, deve ser respeitado o direito à vida e à liberdade das pessoas. Todos possuem o direito de ir e vir, nenhuma pessoa será obrigada a fazer ou deixar de fazer alguma coisa, senão em virtude de lei.

 

 

População em situação de rua

O referido decreto estabelece também que é considerada população em situação de rua o grupo populacional heterogêneo que: possui em comum a pobreza extrema; tem os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados; não possui moradia convencional regular, e que utiliza os logradouros públicos (ruas, praças, marquises, baixos de viadutos, etc) e as áreas degradadas como espaço de moradia e de sustento (prédios abandonados, carcaças de veículos, etc), de forma temporária ou permanente, bem como as unidades de acolhimento para pernoite temporária ou como moradia provisória.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.