COMPARTILHAR

G.I. QUINTA (19)Osmando não foge de questões polêmicas e responde perguntas sobre a taxa do lixo e a coloração da água em alguns bairros da cidade

 

 

No segundo dia de atividades do Governo Itinerante, que esta semana atende pessoas dos bairros Irmãos Auler, Eldorado, Vila Vilaça, Vila Tavares e Antunes, o prefeito Osmando Pereira da Silva contou sua trajetória de vida e respondeu questões que têm gerado polêmica em Itaúna. Além do prefeito, participaram do bate-papo o vereador Nilzon Borges, professores e os alunos do 2º e 3º ano da Escola Estadual Padre Luiz Turkemburg.

 

 

Osmando começou o bate-papo contando um pouco de sua trajetória de vida e também política, desde os tempos em que ajudava a família na comunidade rural dos Paulas, até se tornar o prefeito com mais mandatos na história de Itaúna. Mas o ponto alto do encontro ficou por conta de respostas a questões levantadas pelos próprios alunos da escola.

 

 

A primeira foi referente à saúde, já que a dengue, o zika vírus e também os diversos vírus da gripe, principalmente o H1N1, estão gerando muita preocupação entre os moradores de Itaúna. De acordo com Osmando, a cidade investe 50% de sua verba em saúde, mas em relação à dengue e as doses de vacina contra a gripe a responsabilidade não é somente do município.

 
“Sempre vencemos a dengue, mas esse ano foi atípico e tivemos muito mais casos, apesar de agora eles já estarem diminuindo. Mesmo assim criamos antes de Belo Horizonte, Contagem e Betim o plantão do SOS Dengue. Não impediu, mas vale lembrar que o problema tem que ser combatido pelo poder público com a ajuda de cada um na sua casa. Com relação à vacinação é o Estado quem fornece as doses, por isso devemos priorizar o grupo preferencial, como crianças até cinco anos, mulheres grávidas e mães recentes”.

 
Outras questões polêmicas respondidas pelo prefeito foram referentes ao problema da coloração da água em algumas comunidades e a cobrança da taxa de lixo. De acordo com Osmando, o problema da água já foi sanado, tendo sido ocasionado pela aplicação de um produto mais moderno, que acabou deslocando a ferrugem de encanamentos mais antigos até algumas casas. “Ainda temos algumas tubulações de metal, e em bairros onde é feito um bombeamento da água, a ferrugem por dentro do encanamento acabou se soltando o que ocasionou a coloração com aspecto de sujo da água. Esse novo produto foi aplicado em diversas cidades, mas em poucas, como Itaúna, ocorreu esse problema por causa de tubulações antigas. Porém hoje já está tudo resolvido”.

 

 

Com relação à taxa do lixo, Osmando fez questão de enaltecer que um político sério, às vezes, toma medidas impopulares, mas que são cruciais para o bom desenvolvimento de um município. Ele informou que a cobrança já existe desde 1977. “A taxa do lixo já existia, foi criada em 1977 e era cobrada junto com a taxa de serviço urbano. Mas em 2010 veio a Lei do Saneamento Básico que nos obriga a criar um planejamento. Como arrecadávamos cerca de 2 milhões e temos um gasto de 5 milhões, resolvemos criar um parâmetro de cobrança com base no tamanho da residência ou da indústria. Com isso conseguimos arrecadar aquilo que era preciso e não tenho medo de assumir essa responsabilidade de ter sido o prefeito a regularizar essa cobrança. Um político sério as vezes precisa tomar atitudes impopulares e faço um desafio a todos os meus adversários se algum deles terá coragem de registrar em cartório que vai retirar esta cobrança”.

 

 

Ao fim do bate-papo os professores fizeram questão de agradecer a presença de Osmando que deixou a sala da Escola Padre Turkemburg aplaudido pelos alunos presentes ao encontro.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.