COMPARTILHAR

dcdf2bee9f69fe0baf3ce2b688170893Maior empresa de capital aberto da América Latina, a Ambev, fabricante de bebidas das marcas Brahma, Antarctica e Skol, está disseminando conhecimento em prol do meio ambiente. A cervejaria vai investir R$ 180 mil em três cooperativas brasileiras de catadores de materiais recicláveis. A iniciativa integra o programa Ambev Recicla, que tem como metas uma melhor educação ambiental e o fortalecimento da cadeia produtiva da reciclagem.

 

 

Em meio a mais de 200 entidades inscritas para a premiação, uma das vencedoras, e que receberá o maior aporte financeiro, no valor de R$ 100 mil, foi a Cooperativa de Reciclagem e Trabalho (Coopert) de Itaúna, na região Centro-Oeste de Minas. Na primeira etapa do processo seletivo, lançado em 2015, o grupo concorreu com 230 entidades e, na segunda, com outras sete. Requisitos básicos como organização e hierarquia, além de cronograma de atividades, foram levados em conta. Aspectos como segurança nos processos, senso de administração e comercialização também foram considerados.

 

 

 

Pelos próximos 12 meses, os 74 cooperados de Minas – e os outros dois grupos selecionados, de São Paulo e do Paraná, – serão assistidos por instituições parceiras da cervejaria, que definirão, em conjunto, a melhor destinação para a verba recebida. Uma das principais carências identificadas, segundo a especialista em resíduos pós-consumo da Ambev, Juliana Taguti, diz respeito à segurança no trabalho. Processos e comercialização também serão melhorados.

 

 

“São três cooperativas que estão bastante à frente, com uma visão bem estruturada. O que elas têm em comum e que precisará ser melhorado é a questão da segurança no trabalho, um dos pontos que mais prezamos. Além disso, vamos atuar muito na questão da produtividade e comercialização. Elas estão em um patamar em que recebem bastante resíduos. O próximo passo é trabalhar com novos parceiros para agregar valor ao trabalho e vender a um preço melhor”, explica Taguti.

 

 

O projeto Ambev Recicla nasceu há quatro anos e é sustentado por cinco eixos: educação ambiental, apoio às cooperativas, pontos de entrega voluntária (PEVs) de resíduos, fomento ao movimento reciclagem e embalagens sustentáveis.

 

 

Na primeira etapa do programa, foram recebidas 230 inscrições de entidades do Brasil. Após a primeira seleção, baseada em critérios de excelência desenvolvidos pela Ambev, ficaram somente oito. Dessas, três foram selecionadas e receberão, além dos recursos financeiros, orientação especializada.

 

 

“A seleção foi baseada em normas de cooperativas, em conversas com o Ministério Público e na experiência das próprias entidades. Quanto mais profissional elas eram, maiores as chances de serem selecionadas. Usamos o que temos de melhor na Ambev, a excelência em gestão, para apoiá-las e ajudar a melhorar, tanto pela produtividade quanto pela qualidade de vida”, afirma Juliana Taguti.

 

 

Na avaliação da cooperada Maria Madalena Rodrigues Duarte Lima, da Coopert, de Itaúna, a “consultoria” especializada deve ajudar a aumentar em até 23% a renda da cooperativa, criada há 17 anos. “Temos uma produção média de 480 toneladas por mês, mas conseguimos comercializar cerca de 300. Com certeza será possível aumentar a produção e as vendas. Vamos precisar de pelo menos mais 30 cooperados”, diz.

 

 

Em 2012, a Cooperj assinou um contrato com a prefeitura de Itaúna e, desde então, é responsável também pela coleta seletiva no município. Atualmente, cada cooperado recebe, em média, R$ 2.500 por mês.

 

 

A aplicação dos R$ 180 mil, distribuídos entre as três cooperativas vencedoras (R$ 100 mil à primeira colocada, de Minas, R$ 50 mil à Cooper Região, de Londrina, no Paraná, e R$ 30 mil à Arcorsi, de Itapira, em São Paulo), será avaliada a partir dos trabalhos realizados em cada estado. “Vamos entender melhor, a partir de um diagnóstico inicial, o que cada uma precisa para melhorar e definir os trabalhos junto a elas”, explica a especialista da Ambev. Os recursos podem ser aplicados na melhoria dos processos ou compra de máquinas, por exemplo.

 

 

Desde 2002, a atuação dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis, no Brasil, é reconhecida como atividade profissional pelo Ministério do Trabalho.

 

Em fevereiro, a Ambev inaugurou a quarta fábrica de cervejas de Minas Gerais. A unidade, instalada em Uberlândia, no Triângulo, uma das maiores do mundo, recebeu investimento de mais de R$ 770 milhões.
Veículo: Jornal Diário do Comércio – MG

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.