COMPARTILHAR

Experiências de cidades mineiras contribuem para a implantação de gestão viária eficiente em Itaúna

 

Para que a Prefeitura de Itaúna alcance a excelência na gestão do trânsito, os gestores da Secretaria de Regulação Urbana, responsáveis pelo planejamento viário e fiscalização, participaram, na cidade de Passos, de uma capacitação envolvendo Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande. O encontro apontou os benefícios e responsabilidades a partir da Municipalização do Trânsito, uma obrigação legal para os Executivos, mas que poucas cidades aderiram.

 
Passos, no Sul de Minas, é um dos 60 municípios mineiros que cumprem a obrigação legal da Municipalização do Trânsito. Prevista pela Constituição Federal e apoiada pelo Código de Trânsito Brasileiro – CTB, conforme a lei n.º 9.503/97, a gestão do serviço pelos municípios garante melhorias na administração viária. “Com a Municipalização, a Prefeitura amplia as condições para oferecer suporte técnico ao cidadão e oferecer melhor sinalização nas ruas, fiscalização e operação do tráfego e educação permanente para motoristas e pedestres”, destacou Cíntia Valadares, gerente de planejamento de trânsito.

 
A municipalização também garante mais recursos para serem investidos no trânsito. Do total arrecadado pelo Governo de Minas em multas aplicadas aos motoristas, 50% do valor era repassado à Prefeitura. A partir do momento em que o Executivo cria a estrutura para concretizar a gestão do trânsito, esse percentual pode chegar a quase 100%. “Com mais recursos, teremos mais condições e autonomia para organizar a planejar o trânsito”, analisou Cíntia, que participou do encontro ao lado do fiscal de concessão do Município, Emerson Vilaça.

 
A experiência das cidades que já municipalizaram o trânsito indica ainda a obrigatoriedade da criação da Junta Administrativa de Recursos de Infração – JARI, que instituída em Itaúna julgará os recursos referentes aos autos de infrações que são da competência do Município como, por exemplo, o avanço de sinal no semáforo, estacionar em vagas de idosos e portadores de deficiência e em locais proibidos. As infrações de competência do Estado são as relativas a documentações e continuarão sendo aplicadas e administradas pelo próprio Governo.

 
“Essa condição de fazer cumprir a legislação do trânsito não permitirá ao Município criar uma indústria de multas, já que as normas instituídas permanecem inalteradas”, afirmou o gerente municipal de Mobilidade Urbana, Audrey Juliano Ferreira Leite. “A propósito, ficam passíveis de penalidades apenas os condutores que descumprem as leis do trânsito”, finalizou.

 
Assessoria de Comunicação

COMPARTILHAR

Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.