COMPARTILHAR

Epidemiologia programa ação para levar doses às escolas e vacinar meninos e meninas, mediante autorização dos pais

 

 

O setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde iniciou os preparativos para intensificar, a partir de agosto, a vacinação dos adolescentes contra o HPV, sigla em inglês para Papilomavírus Humano (Human Papiloma Virus). A proposta do departamento é de realizar ações nas instituições de ensino de Itaúna, na volta às aulas, aumentando a cobertura na idade preconizada pelo Ministério da Saúde.

 

 

Em junho de 2017, o governo federal anunciou a ampliação da faixa etária definida como público-alvo da imunização contra o HPV. Com a decisão, a vacina passou a ser oferecida para os garotos de 11 até 15 anos incompletos. Até 2016, apenas as meninas recebiam as doses, que começaram a ser aplicadas nos rapazes, gratuitamente, em janeiro deste ano, contemplando a idade entre 12 e 13 anos.

 

 

A chefe de Epidemiologia, Juniana de Souza, ressalta o bom resultado da campanha nas escolas quando a vacina foi incluída no calendário nacional. “Levamos a conscientização às instituições de ensino e conseguimos atingir uma grande parte da população de adolescentes. As vacinas foram administradas mediante autorização dos pais ou responsáveis legais”, lembra.

 

 

De acordo com Juniana, logo que o Município recebeu a nota técnica a respeito da definição do Ministério da Saúde acerca da faixa etária contemplada, todos os profissionais da área foram orientados. “A vacina está disponível em todas as unidades de saúde. Não tivemos dificuldades quanto à adesão, até o momento, mas, continuaremos a reforçar a importância da prevenção, mobilizando e conscientizando os jovens”, comenta. “Os meninos são imunizados com o objetivo de prevenir os cânceres de pênis, ânus, garganta e verrugas genitais, além da redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres, já que os homens são responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras”, completa.

 

 

Juniana de Souza salienta ainda que a dose contra o HPV é potencialmente mais eficaz para adolescentes vacinadas antes do primeiro contato sexual e pode ser administrada simultaneamente com outras vacinas do calendário nacional, sem interferências na resposta de anticorpos a qualquer uma das vacinas. As contraindicações são para pessoas com hipersensibilidade ao princípio ativo ou a qualquer um dos componentes, com história de hipersensibilidade imediata grave à levedura e gestantes.

 

 

O vírus

 

 

O vírus HPV é altamente contagioso, sendo possível a contaminação com uma única exposição, a partir da transmissão por contato direto com a pele ou mucosa infectada. A principal forma é pela via sexual e o contágio pode ocorrer mesmo na ausência de penetração vaginal ou anal. Também pode haver transmissão durante o parto.

 

 

Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, dos quais 40 podem infectar o trato genital. Entre os registros de câncer de boca, um dos mais recorrentes no mundo, 75% são relacionados ao vírus do HPV. Nas mulheres, a infecção pode provocar câncer de colo do útero – que tem 16 mil novos casos por ano no Brasil –, vulva e vagina, além de lesões pré-cancerosas e verruga genital.

 

 

Assessoria de Comunicação

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.