COMPARTILHAR

Veículos e instalações provisórias devem manter distância segura do rede

 

 

É janeiro, mas o clima carnavalesco já toma conta de várias cidades de Minas Gerais, especialmente com os ensaios de blocos e festas de pré-carnaval. Por isso a Cemig preparou algumas dicas para os foliões evitarem acidentes com a rede elétrica.

 

 

Serpentinas e confetes contém geralmente metal em sua composição e podem causar curto-circuito, quando em contato com a rede elétrica. Segundo o engenheiro Demétrio Aguiar, da Cemig, os artefatos metalizados são itens perigosos e não devem ser utilizados no carnaval: “Quando arremessados, antes de se dispersarem, eles estão concentrados, e podem causar danos nas redes de alta tensão e provocar acidentes. Por precaução, as pessoas não devem atirar nenhum objeto em direção à rede elétrica. Nem mesmo os sprays de espuma”, ressalta.

 

 

A distância de pelo menos 1,5 metro da rede elétrica deve ser levada a sério na hora da montagem de palcos e instalações provisórias e durante a condução de veículos de blocos. “A aproximação e o contato dos carros alegóricos e trios elétricos, por exemplo, trazem o risco de acidentes fatais. Em lugares densamente movimentados, como as ruas por onde passam os blocos de carnaval, os danos podem ser imensuráveis”, completa Demetrio Aguiar.

 

 

O engenheiro também alerta para os riscos de choque com fios elétricos partidos nas ruas: “Ao encontrar um fio caído ao solo, não se aproxime e não deixe ninguém se aproximar do cabo, pois ele pode estar energizado”. Nesse caso, a Cemig orienta que a população ligue imediatamente para o Fale com a Cemig, no telefone 116, e aguarde a chegada dos técnicos da companhia.

 

 

Em caso de perigo, a população também pode acionar o Corpo de Bombeiros (telefone 193) ou a Polícia Militar (telefone 190).

 

Confira outras dicas:

 

Iluminação, enfeites e alegorias

 

• Não lançar artefatos – como serpentinas, confetes, entre outros, na rede elétrica, sejam metálicos ou não.

 

• Antes de fazer qualquer ligação elétrica ou de instalar enfeites e alegorias, consultar a Cemig.

 

• Não instalar nenhum enfeite próximo à rede elétrica.

 

• Não fazer ligações clandestinas (gatos).

 

• Não jogar líquidos, sprays e água na rede elétrica. Há risco de choque elétrico.

 

Trios elétricos e carros alegóricos

 

• Não trafegar sob a rede elétrica se a altura desses veículos for igual ou maior que a dos fios elétricos, pois além do risco de choque elétrico, há o risco de colisão com os fios e consequente derrubada dos postes, fios e equipamentos da rede elétrica, que podem cair sobre o próprio veículo ou sobre os foliões.

 

 

• Observar a existência da rede elétrica e tomar cuidado para não tocá-la.

 

• Considerar a altura do veículo e das pessoas sobre ele em relação à fiação da rede elétrica e demais obstáculos.

 

Palanques para apresentação de shows

 

 

• A montagem e a desmontagem devem considerar a existência das redes elétricas aéreas e, em caso de escavação, subterrâneas, respeitando a distância mínima de 1,5 metro dos cabos e equipamentos da rede.

 

 

• A fixação das coberturas deve ser bem feita para evitar o desprendimento e possível projeção contra a rede elétrica.

 

 

Aparelhos de som, refrigeração e churrasqueiras elétricas

 

 

• Não ligar aparelhos elétricos próximo a duchas ou piscinas.

 

• Evitar improvisos (gambiarras), pois eles aumentam o risco de acidentes com a rede elétrica.

 

Colisão de veículos com postes da Cemig

 

• Não sair do veículo. A pessoa poderá tomar um choque se houver algum cabo partido em contato com o veículo. Se precisar sair do veículo em função de um incêndio, abrir a porta e pular com os pés juntos, o mais longe possível, sem tocar a lataria do carro.

 

• Não tentar socorrer as vítimas se houver fio partido. Nesse caso, acionar imediatamente a Cemig e o Corpo de Bombeiros.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.