COMPARTILHAR

Trabalho intensificado pela Prefeitura, desde 2017, ganha reforço com ações para imunizar e conscientizar população

 

 

As estratégias desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Saúde para salientar a importância da imunização contra a febre amarela, aliadas às ações para levar informações e as doses da vacina aos lugares mais distantes, como as comunidades na zona rural, têm gerado resultado positivo. Itaúna alcançou nesta semana, conforme dados apresentados pelo Setor de Epidemiologia, 84% de cobertura vacinal contra a doença. Até o fim do ano passado, o índice era de 60%. As estimativas apontam que 13 mil pessoas não estão imunizadas, grande parte delas, crianças abaixo dos nove meses, gestantes e idosos, fora, a princípio, do grupo correspondente ao público-alvo.

 

 

O trabalho, que já havia sido intensificado em 2017, foi reforçado já nos primeiros dias de janeiro de 2018, devido às notificações de casos suspeitos e confirmações de mortes em decorrência da enfermidade em todo o Estado, inclusive, vários na Região Metropolitana de Belo Horizonte – RMBH. A prevenção será a principal arma da Prefeitura de Itaúna no combate à febre amarela e, por isso, a Epidemiologia está concentrando todos os esforços para conscientizar a população de que a vacina é essencial para conter o avanço do vírus.

 

 

A dose está disponível gratuitamente nas 22 unidades de saúde, com indicação, principalmente, para crianças, jovens e adultos, além de pessoas que vão viajar para lugares considerados de risco e quem vive ou frequenta a zona rural.

 

 

“É muito importante lembrar que demora um pouco para que o organismo do ser humano produza células de defesa. Então, quem vai sair da cidade deve se submeter à vacinação com dez dias de antecedência”, ressalta a referência técnica em imunização do Departamento Municipal de Epidemiologia, Idamyana de Oliveira Ferreira

 

 

Reforço das estratégias na zona rural

 

 

As ações de proteção da população rural e de controle ao mosquito transmissor da febre amarela ganharam reforço desde o alerta emitido pela Secretaria de Estado de Saúde para a regional de Divinópolis, da qual Itaúna faz parte. A cobertura do público-alvo foi ampliada a partir de visitas domiciliares dos Agentes de Controle a Endemias – ACE, às casas, comércios e fazendas. Nesta semana, a mobilização já chegou às comunidades de Córrego do Soldado, Barragem, Lopes, Carneiros, Freitas, Pedras, Brejo Alegre e Vista Alegre, e vai ganhar ainda mais abrangência com a visita programada à Cachoeirinha e Campos, nesta sexta-feira, 19 de janeiro. Nas outras regiões, as abordagens serão a partir do dia 22 de janeiro, próxima segunda-feira.

 

 

A presença dos profissionais de saúde, nessas áreas, são indispensáveis para orientar a população sobre a importância da vacinação. “A imunização é segura, eficaz e de graça. Quem tomou uma única dose, em qualquer idade, está protegido da febre amarela”, ressaltou Idamyana. “A caderneta é o documento que registra toda a cobertura vacinal que uma pessoa recebeu ao longo da vida. A imunização por mais de uma vez, ou em curto período de tempo, pode trazer prejuízos para a saúde do organismo em relação à autodefesa contra a doença. Por isso, é importante ter sempre o cartão em mãos e, em caso de dúvidas, buscar informações nas unidades de saúde”, completou.

 

 

Alerta elevado

A confirmação da morte de um macaco por febre amarela (epizootia) em Itatiaiuçu elevou o grau de vigilância da Secretaria de Saúde em toda a zona rural, especialmente nas áreas limítrofes com o Município. O alerta reforça a importância da vacinação para a população com idade igual ou superior a 60 anos e também às mulheres em fase de amamentação. Em ambos os casos, a aplicação da vacina continua sendo orientada a partir da análise profissional nas unidades de saúde, já que há contraindicação em caso de medicação prescrita por médico e a necessidade de suspender a aleitamento materno por até 10 dias após a dose ser ministrada.

 

 

A Secretaria Municipal de Saúde reforça que os primatas (macacos e micos) não transmitem a febre amarela. A morte desses animais serve como alerta para indicar a presença do vírus e intensificar as ações de controle ao mosquito, único vetor da doença. Nas cidades, a proliferação da febre amarela pode se dar, principalmente, pela picada do Aedes aegypti, mesmo transmissor da Dengue, febre Chikungunya e Zika.

 

 

Casos suspeitos estão sob investigação

A Secretaria de Estado de Saúde – SES, divulgou por meio do boletim epidemiológico na última quarta-feira, 17 de janeiro, o monitoramento de dois casos considerados suspeitos em Itaúna.Os pacientes apresentam sintomas semelhantes de pessoas contaminadas pelo vírus da febre amarela e, conforme previsto pelo protocolo da rede de atenção básica, tiveram amostras de sangue recolhidas para análise laboratorial.

 

 

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a coleta foi realizada em 12 de janeiro de 2018 e o material enviado para a Fundação Ezequiel Dias – Funed, em Belo Horizonte, na mesma data. O resultado do exame para febre amarela deve ser revelado nos próximos dias. Nesse período, o secretário municipal de Saúde, Fernando Meira da Faria, tranquiliza a população reforçando que os casos ainda são tratados como suspeita e reforça a importância da prevenção.

 

 

“O Município de Itaúna vive uma situação privilegiada em relação à cobertura vacinal. Agora, é preciso conscientizar a população a fazer a parte dela no que diz respeito ao combate ao mosquito transmissor da febre amarela. Por isso, mais importante do que nunca, é não deixar água limpa parada e acumulada”, orientou.

 

 

Na região Centro-Oeste de Minas uma morte foi confirmada por febre amarela. A vítima morava em Carmo da Mata e o diagnóstico foi expedido em 09 de janeiro. Em todo o estado, são 15 óbitos em decorrência da doença.

 

 

Contraindicações

A aplicação da vacina não é indicada às gestantes. Também não é aconselhado às pessoas com alergia grave a ovo; as imunodepressivas; as que fazem tratamento a base de corticoides, ou contra o câncer e até mesmo aquelas portadoras do vírus do HIV e que fizeram transplante. Idosos com mais de 60 anos são avaliados nas unidades de saúde em relação à necessidade da administração da dose.

 

 

Luta contra o Aedes aegypti

A limpeza de lotes e quintais é fundamental para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Em Itaúna, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, mais de 90% dos focos do inseto estão em residências. A orientação é não deixar água limpa parada em recipientes como latas, garrafas, bebedouro de animais, pneus e vasos de planta.

 

 

Conforme orientação da Secretaria Municipal de Saúde, a população também pode fazer uso de repelentes de insetos para se proteger do Aedes aegypti e outros mosquitos transmissores da febre amarela.

Assessoria de Comunicação

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.