COMPARTILHAR

Na última terça-feira, 11 de dezembro, foi divulgado um  áudio sobre a suposta compra de votos, envolvendo o vereador Alex Arthur (PSDB), conhecido como Lequinho, e o vereador Iago Sousa (PP), conhecido como Pranchana Jack, se tornou público na manhã desta terça-feira.

No áudio, Lequinho, que apoia uma das chapas que concorre à eleição, supostamente oferece R$ 20 mil e a prestação de serviços advocatícios para que o outro parlamentar falte à votação. Na gravação, a suposta compra de voto é oferecida com a expressão “pastéis recheados”.

O áudio foi publicado pelo vereador Pranchana Jack em sua página nas redes sociais.


Vereador postou o áudio em sua página nas redes sociais — Foto: Reprodução/Facebook/Pranchana Jack

Já o vereador Alex Arthur afirmou à reportagem do G1 que o áudio divulgado por Iago foi editado e não contém toda a fala do mesmo. Além disso, o vereador diz que a gravação foi feita de maneira ilegal e que acionou seus advogados para que todas as medidas legais sejam tomadas.

Em uma outra gravação, atribuída ao vereador Alex Arthur e que se tornou pública ao final da tarde desta terça-feira, o vereador pede desculpas aos colegas cujos nomes foram citados no áudio divulgado por Iago e acusa a chapa opositora de tentar comprar votos.


“Hora nenhuma envolvi o nome de ninguém sobre dinheiro. Gostaria de pedir desculpa o que eu fiz (…). Peço desculpas a cada um de vocês. Um erro não justifica o outro, mas também tem notícia de que o lado de lá [oposição] ofereceu dinheiro sim. Peço desculpas aos outros oito vereadores. (…) Sou um cara muito tranquilo, trabalho muito, mas errei nisso aí. Peço desculpas nisso aí, a todos vocês, à Glaucia, à Otacília, à Márcia, a todos os outros vereadores, e ao Joel também. (…) Agora, a gravação que o outro vereador fez aí é completamente ilegal, também vou tomar as medidas cabíveis. Se eles quiserem briga, vai ter briga, porque do lado de lá ofereceu, sim, dinheiro para votar no candidato deles. Não estou justificando o meu erro não. Eu errei, completamente, de ter ‘caído na deles’. O Iago me ligou, fui na porta da casa dele para conversar com ele, eles armaram, montaram para mim e eu caí. E nós não usamos com a mesma maldade oferecer dinheiro, mas não gravamos, não fizemos nada”, diz no suposto áudio atribuído a ele.

Perguntado pelo G1 sobre o teor do áudio transcrito acima, o vereador afirmou que apenas pediu desculpas aos colegas por citar o nome dos demais vereadores, mas não esclareceu sobre a denúncia de compra de voto. (G1)

VIAG1 - Globo.com
COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.