COMPARTILHAR

fe-300x300E não é que o carnaval de Itaúna está voltando às origens dos blocos e ficando bom de novo! Muito melhor, carnaval de blocos, abadás e trios elétricos. O abadá, nada mais é que uma espécie de camisa, ou avental, ou bata, usado como adesão ao bloco e ao mesmo tempo serve de ingresso para o participante, que ao ser identificado tem a proteção dos seguranças da turma e fica dentro do cordão de isolamento. Esta influência veio da Bahia, há muito que é usado nos carnavais de lá. Na realidade entrou lá através dos negros malês, que vieram portando abadás. Apesar de ter sido muito atuante nos carnavais de escola de sambas em Itaúna, inclusive compondo samba enredo para os Zulus e para a Perdição, também puxador de samba, ainda prefiro o carnaval de blocos, de trios elétricos, de abadás. A participação é geral, o povo fica mais unido, não existe aquela disputa e aqueles gastos enormes. O carnaval é mais participativo, mais povo. O Célio Morais fez um comentário no meu último artigo sobre o carnaval que achei interessante. Sintetizando o que ele disse: ‘o carnaval está de comportamento diferente, o povo mais maduro. As pessoas estão aproveitando mais, há mais ingenuidade no divertimento. Há menos violência, as pessoas perderam até o medo de sair nas ruas’. Até completei: na circunstância atual que o povo brasileiro está passando, o povo está mais unido no sofrimento e por isso na ‘brasilidade’. Assisto ao carnaval do meu ‘camarote’ no Gula e Gole e adorei ver até criancinhas dentro dos cordões de isolamento na turma do Alfaces. Não vi nenhum exagero, só alegria. A banda do Trio Elétrico do Alfaces impressionou-me. E olha que sou do ramo. A turma do Ralfe matou a pau. A Deisy Carvalho, que em breve estará no The Voice Brasil, me deixou babando. Que vozeirão, que presença de palco, nossa! Esta banda não perde em nada para nenhuma banda da Bahia. No domingo, ao lado do Espaço Cultural, um showzasso de Deisy e banda. Vamos que vamos. Deixa pra rolar nas cinzas e chorar na quarta feira. “E deixa o lero-lero e vem pra cá meu bem. Aqui nesta folia só entra quem tem paixão, calor, sedução a cantar, sentir emoção”. Momei. Fui.

COMPARTILHAR