COMPARTILHAR

feAmor e Paixão. “Palavras são palavras, nada mais que palavras”… As pessoas se enamoram, ‘ficam’, se alisam, transam… Depois se casam ou apenas se amasiam (se juntam). Tudo é lindo de morrer. Que gracinha. Passa-se o tempo, com filhos ou sem filhos, vem a rotina, a mesmice e a parte sexual do casal começa a ser afetada. Acabou o tesão? O que mudou? Sei lá. Uma coisa é certa: a sexualidade dos homens é muito diferente da sexualidade das mulheres, é o que eu tenho notado. Em rodas de boteco só se fala nisso! Tenho observado. Todo homem só pensa “naquilo”. E pimba. Mulher gosta de romantismo, bla bla bla, frescuras e de maneira geral não são tão “pimba” assim. Ouvi mulheres casadas há quase 40 anos dizerem que nunca sentiram orgasmo… Nuuu. Sem comentário… Tenho amigos de certa roda que vivem dizendo que “mulher não gosta de sexo”. E metem o pau nas suas esposas… Será que eles sabem “fazer sexo”? Como isso é complicado. Quantos casamentos acabados por causa disso. Será que há um culpado nisto aí? Já ouvi vários bate papos e artigos que alegam ser as mulheres as maiores culpadas. Pode ser ou não. Dizem que elas forçam a diminuição da frequência sexual. Se deixar também, o homem quer todo dia. A maioria dos homens é tarada por natureza. Será que Salomão tinha razão com suas mil mulheres? Haja viagra… Eu tenho por mim que o sexo é importantíssimo para manter o casal unido e íntimo ao longo dos anos. Sem sexo a paixão morre. Acabou o tesão. A não ser por motivo de doenças graves onde tem que prevalecer o amor. Mas, manter a paixão é importante no relacionamento do casal, é dela que vem o desejo, a libido, o toque. A mulher necessita de elogios, que elogiem seu corpo, seus lingeries. Gosta de agrados, de beijos na nuca, de umas passadas de mão, para se sentir desejada. O relacionamento do dia a dia é importante para produzir esta atração. A paixão tem que estar sempre no ar. Na minha concepção, sexo é ótimo para a saúde, em todos os níveis. A mornidão do relacionamento, a morte da paixão, a frieza sexual, podem levar ao parceiro ‘desesperado’ a procurar sua satisfação fora da relação. É bem animal e natural. Não só o homem, mas também a mulher, claro. As desculpas inventadas para não se ter um ato sexual são sempre as mesmas: dor de cabeça, dor na coluna, cansaço de muito trabalho, não consigo me concentrar, estou com sono, tenho que levantar cedo amanhã, estou com cólica, estou menstruada… E o engraçado: estou cabeluda, não fiz depilação… Isto quando não ficam fazendo hora inventando que estão cuidando das crianças, ou aprontando mamadeiras e outras coisas, para cansar o companheiro lá na cama, até que ele durma e ela chega bem de mansinho… Agora inventaram: você demorou, ficou vendo o jogo, agora já estou no segundo sono; ou você estava no zap zap e não me deu prioridade; ou você estava no computador e me colocou em segundo plano… Outro dia ouvi de certa mulher uma coisa estranha: evitava o marido porque ele não tomava banho, vinha com cheiro de roceiro e com sebo ‘naquilo’… E só vinha com a barba arranhando. Realmente, relação com bacalhau e com ralador na cara, não é nada bom… Escrevo estas maluquices que me vieram na cabeça para que alguém possa vestir a carapuça e pensar a respeito do seu relacionamento. E viva o sexo. Se não existisse, tinha que ser inventado…

COMPARTILHAR