COMPARTILHAR

DILMA-ROUSSEFFNo primeiro dia após ter sido empossada para o segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff se reuniu nesta sexta-feira (2) com autoridades internacionais no Palácio do Planalto, em Brasília. Sem compromissos previstos para esta tarde, ela deve viajar para a Base Naval de Aratu (BA) para alguns dias de descanso.

 
Dezenas de delegações estrangeiras estiveram em Brasília nesta quinta (1º). O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, e o presidente do Uruguai, José Mujica, são algumas das autoridades internacionais que acompanharam a solenidade de posse.

 

Nesta sexta, Dilma se reuniu com o colega venezuelano Nicolás Maduro; com o vice-presidente da China, Li Yuanchao; com o presidente de Guiné Bissau, José Mário Vaz; e com o primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven. Ao todo, os encontros duraram cerca de três horas.

 
Único a falar com a imprensa após se reunir com Dilma, Maduro afirmou ter “confiança política” no Brasil e ressaltou que nos últimos 12 anos foi construído “novo tipo” de relação entre os países. A jornalistas, ele defendeu que no segundo mandato de Dilma Brasil e Venezuela levem “à frente” as relações diplomáticas.

 
“Temos confiança política no Brasil, nós conhecemos o governo e os distintos setores econômicos. Temos confiança. Então, foi uma reunião, digamos, muito auspiciosa, sobre relação que agora neste segundo governo da presidente Dilma vamos levar à frente. Agradeci muito à solidariedade que o Brasil tem tido com a Venezuela”, disse Maduro.

 

 

Relações entre os países
No início da noite desta sexta, o Palácio do Planalto divulgou uma nota com informações sobre os encontros de Dilma com as autoridades internacionais. Em todos os casos, foram discutidas medidas para aprofundar as relações diplomáticas, econômicas, comerciais e ampliar da cooperação entre os países.

 
Ao primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven, por exemplo, o Planalto informou que a presidente saudou a compra pelo Brasil dos caças Gripen, que serão usados pela Aeronáutica, e afirmou que a aquisição iniciará “nova fase” na cooperação bilateral e “intensificará” as relações econômicas entre os países.

 
No encontro com o vice-presidente da China, Li Yuanchao, Dilma ouviu do colega asiático que o país está disposto a ampliar as importações de produtos manufaturados do Brasil e comprometeu-se a “agilizar” a normalização da compra de carne brasileira.

 
Ao presidente de Guiné Bissau, José Mario Vaz, Dilma prometeu que o governo brasileiro, por meio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, estudará áreas para que haja a cooperação entre os países.

 

 

No primeiro discurso do segundo mandato, no Congresso Nacional, a presidente abordou temas ligados às relações diplomáticas do Brasil com o Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela), países africanos e Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), além de defender a ampliação do relacionamento com os Estados Unidos.

 
“Manteremos a prioridade à América do Sul, América Latina e Caribe, que se traduzirá no empenho em fortalecer o Mercosul, a Unasul e a Comunidade dos Países da América Latina e do Caribe (Celac), sem discriminação de ordem ideológica”, garantiu.

 

 

G1

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.