COMPARTILHAR

img_0269A reação negativa ao anúncio do preço do PlayStation 4 no Brasil, lançado em novembro de 2013 por exorbitantes R$ 4 mil, “foi chave para pensar seriamente” na produção local do videogame. O Brasil se torna então o segundo país do mundo a fabricar os aparelhos. A afirmação foi feita por Anderson Gracias, chefe da marca no país, ao G1 nesta quarta-feira (17) durante a E3 2015, em Los Angeles (EUA).

 

 

Os consoles nacionais chegam às lojas só em outubro, por isso Gracias prefere não falar em preços. “Poderia ser imprudente da nossa parte por conta de variações do dólar”, conta.

 
Os aparelhos serão construídos na fábrica da Flextronics, em Manaus (AM). A produção deve começar dois meses antes do início das vendas.

 
Segundo Gracias, a reação do público brasileiro à importação do Playstation 4 foi tão negativa que foi ouvida pela Sony. “A voz e a mensagem do gamer brasileiro foram muito claras e muito bem ouvidas pela matriz.

 
Com a novidade, o Brasil se torna o segundo país do mundo com fabricação dos consoles. Até agora, apenas a China era responsável pela produção.

 
“O Brasil é o nosso mercado mais importante na América Latina, mas no início a gente não conseguia nem abastecer o mercado com ‘a menina dos olhos’ da empresa”, afirma Gracias, sobre o Playstation 4.

 
Anúncio
A Sony confirmou que o seu console atual seria fabricado no Brasil em uma apresentação direcionada à América Latina na E3 2015, em Los Angeles (EUA), nesta terça-feira (16).

 
Desde quando foi lançado, em novembro de 2013, o PlayStation 4 vendido no Brasil é o mais caro do mundo: R$ 4 mil, o equivalente na cotação de terça (16) a quase US$ 1,3 mil. Nos EUA, ele custa US$ 400.

 
A medida com certeza irá ajudar a Sony a encarar de maneira mais competitiva, no mercado oficial, a rival Microsoft, que vende desde novembro de 2013 o Xbox One fabricado no Brasil.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.