COMPARTILHAR

google-translateSe antes o aplicativo para smartphone “Google Tradutor” era capaz de traduzir imagens entre sete idiomas, a partir desta quarta-feira (29) passará a verter frases entre 27 línguas. Tudo isso sem precisar de internet.

 
A leitura de imagem é feita automaticamente e sem conexão à internet ou consumo do pacote de dados. Os brasileiros são os principais usuários do Tradutor, afirmou ao G1 a gerente do serviço, Julie Cattiau (veja o vídeo abaixo). Ela explicou que o serviço é um dos mais “internacionais” do Google, já que 95% do tráfego gerado por ele é de fora dos Estados Unidos.

 
O português já era uma das línguas contempladas para essa função, além do inglês, francês, alemão, italiano, russo e espanhol. Agora, o app passará a também fazer traduções de imagens a partir do búlgaro, catalão, croata, tcheco, dinamarquês, holandês, filipino, finlandês, húngaro, indonésio, lituano, norueguês, polonês, romeno, eslovaco, sueco, turco e ucraniano, hindi e tailandês. Cada língua é incluída por meio de um pacote baixado para o app é que pesa 2 MB. A tradução não é perfeita, mas quebra um galho, principalmente em apertos durante viagens internacionais.

 

 

A possibilidade de apontar o celular para uma imagem e ver o texto escrito nela ser traduzido simultaneamente de um idioma para outro foi incluído no app do Tradutor em janeiro deste ano (basta clicar no ícone de fotografia dentro do app). Isso só foi possível após o Google ter comprado a empresa de um brasileiro. Após a aquisição da Quest Visual, responsável pelo Word Lens, Otávio Good passou a ser engenheiro do serviço.

 
Segundo Good, as línguas incluídas foram escolhidas de acordo com o volume de usuários que o serviço possuía nos países falantes do idioma. “Além disso, para a câmera de um computador, é mais difícil de reconhecer chinês do que é para reconhecer português ou inglês. Árabe então é mais difícil que chinês”, diz.

 
Caligrafia
O brasileiro explica que esse é um avanço na área chamada de “aprendizado de máquina”, ou seja, a interação de computadores com o mundo real de forma que aprendam com ele e até respondam a estímulos visuais e sonoros, por exemplo. “Hoje, um computador pode dizer a diferença [imagens] de cachorros e gatos, por exemplo.”

 
A tradução de imagens envolve também o conceito de “redes neurais”, que, segundo explica Good, tenta levar para os computadores a forma como os cérebros humanos processam o pensamento. “Quando você baixa o pacote de português ou russo, também baixa a forma de pensar nessas línguas”, compara.

 
Imagens com texto manuscrito podem ser um problema, reconhece o engenheiro. “Às vezes mesmo um humano não entende o que está escrito quando é a caligrafia de outra pessoa”, brinca Good.

 
Outra mudança no aplicativo foi a tradução de conversas, que está mais veloz e foi ampliada para abranger 32 línguas. As duas novidades começam a ser liberadas gradualmente tanto para o aplicativo Android quando para o iOS nas próximas semanas.

COMPARTILHAR
Matéria enviada ao Portal Notícias de Itaúna. As matérias enviadas e publicadas no Portal Notícias de Itaúna não refletem necessariamente a opinião do nosso Portal de Informações e são de inteira responsabilidade das pessoas que as assinam.