COMPARTILHAR

galo12

Quatro dias depois de cair na Copa Libertadores, quando foi derrotado pelo Internacional, por 3 a 1, nas oitavas de final, o Atlético-MG mostrou em campo que a queda no torneio continental foi rapidamente superada. A equipe alvinegra goleou o Fluminense por 4 a 1, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

 

Pouco mais de três meses depois, o Atlético sofreu nova eliminação em torneio mata-mata e, pela frente, tem o jogo com o Fluminense, pelo segundo turno do Brasileirão. Depois da eliminação para o Figueirense, na Copa do Brasil, o próximo compromisso é no Rio de Janeiro, contra o time tricolor.

“Então, acabou a Copa do Brasil. Foco agora é só no Brasileiro”, resumiu o técnico Levir Culpi.

 

Embora o duelo seja no Rio de Janeiro, o Atlético poderia não ter adversário melhor para se recuperar. Já são nove jogos de invencibilidade diante do Fluminense. Aliás, nenhuma outra equipe foi tantas vezes derrotada pelo Atlético na era dos pontos corridos. Desde 2003, quando se adotou o atual formato de disputa, foram 11 triunfos dos mineiros e 40 pontos conquistados em 69 possíveis.

 

No confronto do primeiro turno, quando teve de jogar fora de Belo Horizonte por estar punido, o Atlético impressionou com um time ofensivo. Somente com Rafael Carioca de volante. Dátolo, Luan, Carlos, Thiago Ribeiro e Lucas Pratto formaram o quinteto ofensivo na partida disputada em Brasília.

 

Foram quatro gols, marcados por Jemerson (duas vezes), Dátolo e Luan, além de duas bolas na trave, dos argentinos Pratto e Dátolo. Atuação que virou parâmetro para o Atlético. “Esse é o espírito, o caminho que a gente tem que seguir no Brasileiro para poder brigar pelo título. Jogamos com dinâmica, bastante velocidade, marcando jogadores, e fomos felizes nas jogadas de contra-ataque, e fomos felizes do que nos outros jogos”, disse o goleiro Victor, logo depois da goleada sobre o Fluminense.

 

Um fato fez a diferença antes da partida. Mesmo eliminado da Libertadores, o Atlético foi recebido por centenas de torcedores no aeroporto de Confins. Para o técnico Levir Culpi, a postura dos atleticanos na recepção da equipe fez toda a diferença no confronto pela segunda rodada do Brasileirão.

 

“Foi a resposta que nós demos para os torcedores. Há muito tempo eu não via algum time sair como derrota, como saímos de Porto Alegre, e ser recebido pela torcida daquela forma. Então ficamos com obrigação de dar uma resposta e isso foi bacana. Foi um oxigênio a mais na parte emocional que a gente lida muito aqui no Brasil, foi importante. Ainda tem muita coisa pela frente, mas tomara que o Atlético siga dessa maneira”, comentou Levir, após o jogo realizado em maio.

 

FONTE: UOL ESPORTES

COMPARTILHAR